noticias / PLANTÃO POLICIAL / Semad aplica mais de R$ 500 mil em multas por crimes ambientais e aglomerações no Rio Araguaia
PLANTÃO POLICIAL

Semad aplica mais de R$ 500 mil em multas por crimes ambientais e aglomerações no Rio Araguaia

A Secretaria do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) aplicou mais de R$ 500 mil em multas por crimes ambientais e aglomerações no Rio Araguaia. A tradicional temporada em um dos principais destinos turísticos das férias de julho foi oficialmente cancelada em decorrência do Decreto assinado pelo governador Ronaldo Caiado para evitar a disseminação da Covid-19 em Goiás.

Até terça-feira (29), as equipes de fiscalização já tinham lavrado 50 autos de infração, totalizando R$ 500 mil em multas. A força-tarefa intensificou a fiscalização na região a partir do dia 10 de junho, quando foi anunciado o cancelamento da temporada.

Três localidades às margens do rio Araguaia concentram as abordagens: distrito de Luiz Alves, em São Miguel do Araguaia; distrito de São José dos Bandeirantes, em Nova Crixás; e o município de Aruanã.

O Decreto proíbe a realização de acampamentos, shows musicais, festas, caminhadas ecológicas, passeios ciclísticos, corridas e realização de espetáculos. O documento ainda proíbe o uso coletivo de beiras de rios, cachoeiras e praias formadas no Rio Araguaia, assim como a instalação de estruturas temporárias de restaurantes, bares, banheiros, pontos de apoio e quaisquer outras de atendimento a turistas e usuários em praias, beiras de rios e cachoeiras.

Caso as determinações sejam descumpridas, o decreto prevê multas que variam de R$ 1 mil até R$ 500 mil.

Juntamente com a Semad, a força-tarefa reúne o Batalhão Ambiental da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Goiás Turismo, além da participação do Ministério Público Federal (MPF) e prefeituras municipais.

 

Crimes ambientais

Além das ações de combate às aglomerações, as equipes intensificaram a fiscalização contra crimes ambientais. De acordo com a secretária Andréa Vulcanis, foram identificadas várias atividades criminosas durante a pandemia.

“Muitos acreditam que o isolamento social e a paralisação de diversas atividades abriram espaço para cometerem crimes contra o meio ambiente. A recomendação é de fiscalização total e tolerância zero”, afirma.

De acordo com o balanço das últimas ações, até terça-feira (29), foram lavrados dois autos de infração por material predatório e porte ilegal de arma dentro de uma unidade de conservação, com multa de R$ 3 mil.

Além da Semad,  Batalhão Ambiental da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros fiscalizam às margens do Rio Araguaia — Foto: Semad/Divulgação

A força-tarefa também lavrou um auto de infração por porte de material predatório, com multa de R$ 700, dois autos de infração contra a fauna silvestre, com apreensão de quatro piaus, uma tarrafa e 3 kg de pescado, com multa de R$ 3 mil, além da apreensão de uma tarrafa, um espinhel, 10 kg de pescado e 2 kg de carne de caça processada. Os responsáveis pela última apreensão não foram localizados.

Houve, ainda, um auto de infração por desmatamento de uma área de 67 hectares, e outro auto por desmatamento de 3 hectares em uma área de Proteção Permanente (APP) da região. Juntas, as infrações resultaram em R$ 88 mil de multas. Com G1

O que vale é o JORNAL DO VALE – Um jornal a serviço da nossa região, desde 1975 - www.jornaldovale.com

JORNAL DO VALE é jornalismo profissional, sério, ético e imparcial

Siga nosso Instagram - @jornaldovale_ceres

...