noticias / PLANTÃO POLICIAL / Pais denunciam que filho de 6 anos foi abusado por colegas dentro de banheiro em escola
PLANTÃO POLICIAL

Pais denunciam que filho de 6 anos foi abusado por colegas dentro de banheiro em escola

Um casal denuncia que o filho de 6 anos foi abusado por dois colegas dentro do banheiro de uma escola pública de Nerópolis. Conforme a mãe da criança, ele está assustado.

O caso aconteceu na última sexta-feira (10), na Escola Municipal São Francisco de Assis. A mãe conta que estranhou o comportamento do filho ao buscá-lo na escola. Ao conversar, ele relatou o que havia ocorrido.

“Ele foi tomar banho e aí pegou ne mim e falou assim: 'Mamãe, me leva para o hospital. Eu não estou bem´”, relatou a mulher.

Logo depois, os pais da criança acionaram o Conselho Tutelar e registraram a ocorrência policial. O menino também passou por exame no Instituto Médico Legal (IML).

No laudo, os peritos constataram que há uma lesão no ânus do garoto. Porém, conforme o documento, ela “pode ser consequência tanto de ato libidinoso ou alterações no ritmo intestinal”.

O Conselho Tutelar segue acompanhando o caso. “Todas as medidas de proteção foram tomadas, de acompanhamento e encaminhamento. Causa espanto para nós do Conselho Tutelar uma vez que a criança é tão pura, mas está sujeita a isso. É uma fase de descobertas e cabe aos responsáveis ter mais atenção para que isso não venha a acontecer”, disse o conselheiro Onofre França.

 

Pais indignados com a escola

A mãe e o marido contam que os alunos de 6 e 7 anos que teriam cometido o abuso não sofreram nenhuma punição. Além disso, segundo o casal, o filho está sendo ameaçado.

O casal está indignado com a postura da escola e cobra alguma atitude. De acordo com os pais, a direção não admite que o abuso aconteceu dentro da instituição e chegou a sugerir que tirassem o filho do colégio. Porém, não acham justo.

 

Secretaria de Educação

A Secretaria de Educação de Nerópolis alega que o caso esta sendo investigado e que, se for comprovado o abuso dentro da escola, as medidas serão tomadas.

“Estamos esperando apurar todos os fatos. O Conselho encaminhou para o órgão responsável, a psicóloga estará conversando com essas crianças porque ela é a pessoa capacitada para extrair de todos os três a verdade. Se o Conselho determinar que sejam expulsos da escola, vamos oferecer vaga em outra escola para eles”, afirmou a secretária municipal de Educação, Divina Rosilda Caixeta.

Em nota, a assessoria de imprensa da 3ª Delegacia Regional de Polícia de Anápolis, a qual pertence a Delegacia de Nerópolis, informou que a delegada, Dra. Azuen Magda pediu perícia e está acompanhando o caso. Pontua ainda que atendeu os pais da crianças pessoalmente.

De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, mesmo se o abuso for comprovado, os autores não podem responder criminalmente por seus atos porque têm menos de 12 anos. Nesses casos, tanto a vítima quanto as crianças que praticaram o ato devem receber uma medida protetiva, que prevê, entre outras ações, acompanhamento psicológico.

Da Redação com G1

...